sábado, 8 de dezembro de 2012

SOBRE O RITO DE YORK - PARTE 03





As Ordens de Cavalaria do Rito de York apresentam-se como uma estrutura paramilitar com perspectivas sobre a Maçonaria.

A primeira referência a um grau templário maçônico encontra-se nas atas da Loja Saint Andrews, em Boston, quando em 09 de abril de 1769, William Davis recebeu os graus de Excelente Mestre, Super Excelente Mestre, Arco Real e Cavaleiro Templário.

Constata-se ainda um selo datado de 1780 na Carolina do Sul, um diploma templário de 1782 em Maryland e há registro de um grau templário em Nova York, no ano de 1783. Em 1796, surge a primeira Comandaria (Acampamento ou Priorado), em Colchester, Connecticut, o qual receberia sua carta constitutiva da Inglaterra, em 1803.

De 1816 a 1916, a Ordem de Malta foi colocada como o último grau na série, retornando ao segundo lugar.

Atualmente, as Comandarias de Cavaleiros Templários jurisdicionadas ao Grande Acampamento conferem a Ordem da Cruz Vermelha, a Ordem de Malta e a Ordem do Templo. Nelas, o Maçom tem contato com um segmento bastante peculiar, diferente de todos os outros graus e Ritos. Para ingressar em uma Comandaria Templária, o Maçom tem um longo caminho a percorrer. Porém, antes de ser recebido, deve ser reconhecido como um cristão professo.  É requerida a crença na doutrina da Trindade e o compromisso como a defesa do Cristianismo.



Ordem Ilustre da Cruz Vermelha: a lenda da Cruz Vermelha é semelhante à do Cavaleiro do Oriente e Príncipe de Jerusalém do Rito Escocês Antigo e Aceito; são enfatizadas as lições sobre a Verdade, tendo como base a história antiga e o período que antecede as Cruzadas. Zorobabel, personagem comum no grau do Real Arco, em visita ao rei Dario, com a finalidade de convencê-lo de seu compromisso com o povo judeu, é questionado sobre o que tem maior influência: o vinho, as mulheres ou o rei. A resposta de Zorobabel é utilizada para testemunhar as lições dessa Ordem.






Ordem dos Cavaleiros de Malta: é a primeira das Ordens Cristãs conferidas no sistema de Cavalaria. Relata a história e o exemplo de Fé de São Paulo na chegada à Ilha de Melita, hoje conhecida como Ilha de Malta. A história dos Cavaleiros de São João (Cavaleiros de Malta) é explicada, considerando os diversos períodos por que passou a Ordem, em paralelo com o nascimento, vida, morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo.



Ordem do Templo: é um grau impressionante. A comunhão do Cavaleiro Cristão com a Ordem do Templo é vivenciada em uma longa cerimônia. Após seis anos de preparação, o Cavaleiro dedica o último ano restante à penitência, antes da visita ao Santo Sepulcro. Espera-se do Cavaleiro (Sir Knight Templar) o exemplo vivo das virtudes cristãs, alicerçadas na lição de vida do Cristo Salvador.



Sir Knight David Dixon Goodwin
Grand Master 2012 – 2015
The Grand Encampment of Knights Templar



FONTE:

Dafoe, Stephen. O compasso e a cruz – uma história dos Cavaleiros Templários Maçônicos. São Paulo: Madras, 2009.

Site da  A.'.R.'.L.'.P.'.I.'. Segredos da Pirâmide nº 16 – GOPB (COMAB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário